Thursday, March 08, 2007

Boas lembranças




Marie Amélie é esquecida, sabe? Preparou esse post logo depois do ano novo e esqueceu de publicar.

Mas fazer o quê?

Melhor agora do que nunca!

Último dia de 2005 Marie Amélie e Monsieur Gorducho foram ao Parador Valência, para lá de simpático restaurante espanhol em Itaipava, comandado pelo simpaticíssimo Paquito (Vicente Mas). E, na véspera, a comilança tinha sido no Locanda Della Mimosa, do chefe Danio Braga.

As duas casas fazem parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança; um determinado prato é o da Boa Lembrança, você come aquela receita e leva um prato de cerâmica para casa. Para quem vive por essas bandas é conhecido, mas os cinco leitores estrangeiros de Marie Amélie podem não conhecer, então a gente explica.

No caso da Locanda, o prato foi um Parmentier de Rabada, que Marie Amélie comeu e não gostou. Afinal, quem não gosta de rabada dificilmente vai gostar de um parmentier de rabada. Aí vocês se perguntam: "Comeu porquê?". Não, meu queridos, não foi por causa do souvenir. Foi para dar uma última chance à rabada. Se nem preparada com todos os requintes da alta gastronomia foi aprovada, é porque não é para ser mesmo.

Monsieur Gorducho, no entanto, adorou.

Diga-se de passagem, era um menu degustação, do qual constava um folhado de codorna com molho funghi e trigo, espetacular. A codorna, que esta na lista não-como-mais-sempre-que-comi-estava-ruim, foi aprovada com louvor. De comer rezando o resto da vida.

Juro!

No Parador Valência, o prato da Boa Lembrança o Revuelto de Mar, uma paella de frutos do mar que todos comeram, menos Marie Amélie, que não é fã de polvos e lulas e seres com tentáculos. Mas a paella de bacalhau estava tão boa, mas tão boa, que não dá nem para descrever.

À saída, Paquito, que é um fidalgo (fidalgo combina mais com espanhóis do que lorde, além de ser mais distinto, não achama?) pediu que esperássemos um minutinho e veio lá de dentro com um prato da Boa Lembrança para Marie Amélie. Um ato de sensibilidade e delicadeza que foi recebido com pulinhos e sorrisos imensos de Marie Amélie. Não pelo prato, mas pela gentileza. :)

As receitas estão no site da Associação, logo são públicas. Daí que não vejo problemas em reproduzi-las aqui. Quem for fazer, cite os restaurantes e os chefes, eles merecem!

PARMENTIER DE RABADA

Ingredientes:
- 3 g rabo de vitela magro, bem limpo, lavado e cortado em pedaços
- 100g cenoura em pedaços
- 100g aipo em pedaços
- 100g cebolas em pedaços
- 100g de alho poró
- 200 ml vinho branco
- 100g molho de tomate
- 10g alho picado
- 3 lt de caldo de galinha sem sal
- sal e pimenta
- 800g de purê de batata bem rico e macio
- 200g noisette de abobrinhas
- 200g noisette de cenouras
- 10 aros de cm. 10 de diâmetro e 2,5 cm de altura
- 10 fatias de 30 g de batata para forrar o aro
- 560 g de molho para servir, obtido do cozimento da carne, batido no liquidificador

Modo de preparo:

Lavar bem as carnes para retirar todas as impurezas e eventuais cabelos, cozinhar para retirar o excesso de eventuais gorduras, reservar. Numa caçarolas refogar os legumes, quando dourados juntar o vinho branco, deixar evaporar. Incorporar a rabada, o molho de tomate, juntar o caldo de galinha e cozinhar em fogo brando até ficar pronto.
Uma vez pronto, deixar resfriar, retirar o excesso de gordura, desfiar a rabada e montar a quente num aro forrado com a batata a parmentier com camadas de purê de batata previamente preparado a parte, terminando com a rabada na parte superior, colocar em volta um aro feito com papel de alumínio para proteger durante o reaquecimento a bordo e ajudara para remoção no prato de serviço. Decorar o prato com as noisette de legumes e colocar por cima o molho. Rende para quatro pessoas.

REVUELTO DE MAR

Ingredientes:
- o tentáculo de um polvo de 2 quilos (ferver o polvo inteiro)
- 3 lulas médias limpas, sem peles e sem pernas
- 4 mexilhões grandes sem casca, limpos e pré cozidos
- 3 camarões V.M., inteiros, descascados deixando a cauda
- verduras
- 6 dentes de alho, descascados
- 1 batata pequena cortada em pedaços grandes (ferver inteira)
- 1 pimentão pequeno, verde-vermelho, cortado em pedaços grosseiramente
- 1 alho poro, limpo, cortado em pedaços de 3 cm
- 1 cebola pequena, descascada e cortada em 4 pedaços (ferver inteira)
- temperos
- 1 pimenta do tipo dedo de moça, sem semente, cortada em rodelas
- azeite extra virgem para temperar na hora de servir
- 1 pitada de pimenta branca moida
- 1 colher de sobremesa de páprica doce
- sal a gosto

Modo de preparo:
Limpar o polvo, a lula, os camarões e os mexilhões. Numa panela média colocar o polvo, com pouca água, e cozinhar controlando a consistência pra que fique durinho. Na mesma água (fervente) se dá um choque nas lulas e se cozinha a batata, o alho e a cebola controlando o tempo de cada um.
A partir deste momento tudo será preparado na chapa bem quente ou numa frigideira grande, não aderente. Cortar o tentáculo do polvo em pedaços de aproximadamente 3 cm. Fritar todos os ingredientes, com pouco azeite ou óleo (apenas para não deixar grudar) e colocar na travessa de forma irregular. Temperar pulverizando suavemente com a páprica e com a pimenta e servir com bastante azeite. A travessa de barro de cerca de 24cm de diametro na qual será servido deve ficar na chapa para continuar quente. Rende uma porção (segundo o site, moizinha acha que rede mais).

4 Comments:

Blogger Cris said...

Eu gosto de rabada! E tenho 2 pratos da boa lembrança que comprei em BH. Expostos na sala de jantar. Bjs!

12:27 PM  
Blogger The Maharani said...

Os meus estão em um pedacinho da cozinha. São fofos, né?
Nunca consegui gostar de rabada e essa foi minha última tentativa. Mas quem comeu, além de mim, gostou. :)

Bjs e obrigada pela visita ao bloguinho!

4:39 AM  
Blogger fezoca said...

os pratos estao lindinhos, mas nao valem o sacrificio de engolir rabada e polvo. essas sao algumas das minhas comida-nightmare de infancia... gasp! :-))

beijao,

1:25 PM  
Blogger The Maharani said...

Fernanda,

também detesto rabada e polvo. Mas o pratinho do polvo foi presente eu comi foi paella de bacalhau.

Tenhos alguns traumas de infância, também.

Bjs!

8:08 AM  

Post a Comment

<< Home